Anuncie na revista impressa

Psicose pós-parto: o que ninguém fala sobre maternidade

Transtorno psiquiátrico grave afeta uma a duas mulheres a cada mil partos. Devido à raridade do problema, muitas não sabem como lidar.

Por A Fonte Magazine em 04/07/2024 às 14:39:20

Transtorno psiqui√°trico grave afeta uma a duas mulheres a cada mil partos. Devido à raridade do problema, muitas não sabem como lidar. A psicóloga perinatal Rafaela Schiavo esclarece as causas, sintomas e formas de prevenção

Caracterizada pela perda de contato com a realidade, a psicose pós-parto inclui sintomas como delírios, alucinações, agitação severa e comportamento impulsivo. A condição apresenta riscos tanto para a mãe quanto para o beb√™ e requer intervenção médica imediata e apoio contínuo. Os principais fatores de risco são histórico pessoal ou familiar de transtorno bipolar ou episódio psicótico anterior.

Segundo o Postpartum Support International, mulheres com psicose perinatal t√™m uma taxa de suicídio de 5% e de infanticídio de 4%. Isso ocorre porque a mãe acredita fielmente nas alucinações e delírios que experimenta.

Para esclarecer o assunto, a psicóloga perinatal Rafaela Schiavo explica as causas, fatores de risco e a importância do suporte durante a gestação e o pós-parto.

Como a psicose se diferencia de outras doenças psicológicas no pós-parto?

No pós-parto, muitas mulheres podem apresentar ansiedade, estresse e depressão. A depressão atinge 25%, j√° a psicose puerperal é mais rara, ocorrendo em uma a duas mulheres a cada mil partos. Na depressão, a mulher sente tristeza e culpa, mas ainda tem consci√™ncia da realidade. Na psicose, h√° uma ruptura com a realidade, com alucinações, escuta de vozes, confusão mental e episódios de despersonalização.

Os hormônios da gestação podem contribuir para o desenvolvimento da psicose pós-parto?

Sim, mas não são a única causa. A queda dos hormônios após o parto pode causar transtornos. É necess√°rio avaliar o histórico de vida e os fatores de risco anteriores à gravidez. Até hoje, não h√° estudos que comprovem uma causa específica; condições como esquizofrenia, transtorno bipolar e borderline podem influenciar. Em geral, a psicose ocorre na primeira gestação. Porém, se a mulher j√° sofreu com esse transtorno, ela precisa de acompanhamento psiqui√°trico e psicológico em gestações subsequentes.

Como ajudar uma mulher que est√° sofrendo com o transtorno?

Familiares, amigos e profissionais devem perceber mudanças de comportamento e oferecer ajuda. Romantizamos muito a maternidade, mas a realidade é diferente. Mais de 50% das gestações no Brasil não são planejadas, o que gera sentimentos negativos. O preconceito e a repressão desses sentimentos pioram a saúde mental. A gravidez é um período de grande vulnerabilidade para a mulher, por isso o suporte contínuo é essencial. A conscientização e o pré-natal psicológico podem reduzir estereótipos e encorajar as mulheres a procurar ajuda sem medo de julgamentos. Falar abertamente sobre os sinais de alerta e a importância do tratamento adequado pode salvar vidas e promover uma maternidade mais saud√°vel.

Quem é Rafaela Schiavo?

É psicóloga perinatal e fundadora do Instituto MaterOnline. Desde sua formação inicial, dedica-se à saúde mental materna, sendo autora de centenas de trabalhos científicos com o objetivo de reduzir as elevadas taxas de alterações emocionais maternas no Brasil.

Rafaela Schiavo - Psicose pós-parto: o que ninguém fala sobre maternidade


Possui graduação em Licenciatura Plena em Psicologia e graduação em Psicologia pela Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho. Além disso, concluiu seu mestrado em Psicologia do Desenvolvimento e Aprendizagem e doutorado em Saúde Coletiva pela mesma instituição. Realizou seu pós-doutorado na UNESP/Bauru, integrando o Programa de Psicologia do Desenvolvimento e Aprendizagem. Tem experi√™ncia na √°rea de Psicologia, com √™nfase em Desenvolvimento Humano, atuando principalmente nos seguintes temas: desenvolvimento pré-natal e na primeira infância; Psicologia Perinatal e da Parentalidade.

Para saber mais sobre Rafaela Schiavo e seus conhecimentos, fique à vontade para nos consultar:

Tais Gomes
Assessora de Imprensa
TG Comunicação
(11) 98834-9744
[email protected]
Nicole Duarte
Assessora de Imprensa
TG Comunicação
(85) 99188-3389
[email protected]

Comunicar erro

Coment√°rios